Saber esperar a hora de Deus

Saber esperar a hora de Deus

Sex., 13 maio 22 Filhas da Igreja Fundadora

Padre Ferdinando conclui: "Madre Maria Oliva do Corpo Místico foi uma verdadeira azeitona que aceitou, em obediência, esmagamento e maceração para o bem do Corpo Místico, que é a Igreja. A Fundadora, que soube esperar pela hora de Deus, reconfirma implicitamente que o sofrimento é sempre fecundo e que o bom Deus - como Manzoni teologicamente observa - "nunca perturba a alegria dos seus filhos, exceto para lhes preparar uma alegria mais certa e maior". [...]
Num momento altamente dramático para a Madre Oliva, Don Scotti escreveu-lhe (15 de Julho de 1933): "Não se esqueça: o seu nome Maria Oliva afirma claramente o propósito da sua vida religiosa. O Mestre quer ser a imprensa da Irmã Oliva". [...]
Cada um dos sorrisos da Mãe floresceu de uma tristeza secreta e assídua, tenazmente afastada dos olhos de todos para permanecer um holocausto puro a Deus.

Garofalo, História de um Carisma, 98,99-100.